CODEX ALIMENTARIUS: A tirania da “saúde” – 2. parte


Este ARTIGO foi publicado originalmente neste SITE

codex-alimentarius-fao-who

Brandon Turbeville, publicado no Activist Post – 23/11/2010

Tradução Julio Peres

A comissão de saúde do Codex Alimentarius e a legislação subsequente que vem dela, tem raízes prováveis no nazismo, no comunismo, na eugenia e nas iniciativas de governo mundial. Vamos apresentar alguns dos nomes e filosofias dos tiranos responsáveis por essa proposta de tirania global da saúde.

A I.G. Farben não se restringiu à Alemanha. Não só eles eram um conglomerado da Bayer, Hoechst, BASF e outras empresas, a I.G. Farben também se junto à Shell Oil da Grã-Bretanha e à Standard Oil e DuPont dos Estados Unidos em 1929. Isso ocorreu após a I.G. Farben descobrir como fazer petróleo a partir do carvão. Posteriormente, houve um acordo para a I.G. Farben se manter fora do mercado de petróleo se a Standard Oil ficasse fora do mercado químico. [1]
Hermann Schmitz, que era presidente do conselho da I.G. Farben, como mencionado acima, tinha uma grande quantidade de ações da Standard Oil New Jersey, enquanto a Fundação Rockefeller também possuía uma quantidade substancial de ações da I.G. Farben. [2] Tantas ações que, quando as holdings da I.G. Farben foram completamente vendidas em 1962, os Rockefeller eram os maiores acionistas envolvidos nas transações. [3] Isso é significativo porque a Fundação Rockefeller e a família Rockefeller em geral foram grandes apoiadores não apenas do regime nazista e da eugenia, mas da criação das Nações Unidas. [4]
De fato, as conexões entre os Rockefeller e as atrocidades da Alemanha nazista, da Rússia comunista e da China comunista são tão abundantes que impedem que sejam tratados com muitos detalhes neste artigo. Esta evidência está prontamente disponível para qualquer pessoa que deseje investigar e, o que torna muito mais fácil, em grande parte, é que os Rockefeller não negam isso. Além do apoio aberto à eugenia, os Rockefeller também são globalistas comprometidos, novamente uma filosofia que é prontamente admitida por eles. As conexões dos Rockefeller com organizações globalistas como as Nações Unidas [5], o Council on Foreign Relations [6] e a Comissão Trilateral, [7] para citar alguns, são amplamente documentados e discutidos. Na verdade, foi John D. Rockefeller quem doou a terra em que a sede das Nações Unidas foi construída. [8]
À medida que se aprofunda na história das Nações Unidas e até mesmo no conceito de globalização em si, encontra-se cada vez mais a árvore genealógica da família Rockefeller ao longo do caminho. Eventualmente, torna-se óbvio que os Rockefeller, juntamente com outras famílias da elite global, tiveram interesse na criação de um órgão de governo internacional, bem como uma mão poderosa em sua criação através de organizações como as mencionadas acima, especificamente o Council on Foreign Relations, o Grupo Bilderberg e o Royal Institute of International Affairs. [9] Todos esses grupos e organizações existem para o propósito declarado de um governo mundial, com a ONU, em particular, sendo uma parte vital da infraestrutura usada para facilitar isso. Na verdade, muitas evidências mostraram vínculos definitivos entre essas organizações e a criação das Nações Unidas. [10]
Mas suscitando talvez uma preocupação ainda maior, especialmente porque a família Rockefeller tem tanto poder quanto parece, é a obsessão com a eugenia. Parece que a família Rockefeller esteve envolvida no movimento eugênico desde o início da sua forma mais moderna. Para deixar claro, a eugenia é a teoria pseudo-científica de que alguns humanos são hereditariamente mais aptos do que outros e que aqueles considerados inaptos devem ser erradicados através de diversos meios. Sua forma contemporânea se originou com a teoria da evolução e seleção natural de Charles Darwin, porém ganhou mais força quando Sir Francis Galton (um primo de Darwin) começou a impulsionar essas teorias com maior vigor. Galton também afirmou que, se os seres humanos aptos ou talentosos só se casassem com outros seres humanos aptos ou talentosos, então o resultado final seria uma prole muito mais apta e talentosa. Ao mesmo tempo que as teorias de Darwin e Galton estavam sendo consideradas, também estava sendo dada mais atenção à idéia da hereditariedade. No entanto, em apenas alguns anos, não só as principais teorias bizarras foram essencialmente aceitas, mas se transformaram em um movimento massivo de eugenia que resultou em esterilizações forçadas, abortos, eutanásia e até infanticídio nos Estados Unidos. Isso foi anos antes que essas práticas fossem introduzidas e intensificadas na Alemanha. De fato, Hitler tomou os EUA como modelo para seu próprio plano de eliminar os “inaptos”. Essas práticas floresceram nos anos anteriores à Segunda Guerra Mundial devido à aceitação em larga escala da eugenia não só no meio acadêmico e na mídia, bem como nos financiamentos em massa das famílias dinásticas da elite global, como os Rockefeller e os Carnegies. [11]
Embora certamente não sejam os únicos defensores da eugenia, essas famílias desempenharam um papel imensamente importante em sua expansão. A Fundação Rockefeller sozinha financiou a Sociedade Americana de Eugenia até o ponto em que sua própria fundação de eugenia, a Rockefeller Population Council, era praticamente indistinguível da anterior. A fundação financiou a Eugenics Society, que eventualmente mudou seu nome para a Society for the Study of Social Biology, o nome que atualmente possui. A família Rockefeller também ajudou a criar e posteriormente financiar o Instituto Kaiser Wilhelm para Psiquiatria e o Instituto Kaiser Wilhelm para Antropologia, Eugenia e Hereditariedade Humana. [12]
Este último foi diretamente responsável pela coordenação, financiamento e implementação do programa em que Josef Mengele trabalhou antes de suas infames experiências em Auschwitz. [13] De fato, muitos dos seus experimentos foram financiados pela Fundação Rockefeller através do Instituto Kaiser Wilhelm de Antropologia, Eugenia e Hereditariedade Humana. [14] Através do Bureau of Social Hygiene, outra fundação de eugenia de Rockefeller, John D. Rockefeller também financiou de forma anônima a notoriamente racista, eugenista e pioneira do aborto Margaret Sanger com sua American Birth Control League, assim como o Birth Control Clinical Research Bureau e a Planned Parenthood of America. [15]
Margaret Sanger foi a iniciadora do Project Negro, um esforço concertado para eliminar a raça negra. Em uma carta de 1939 à Clarence Gamble, ela escreveu: “Nós não queremos que se espalhe a idéia de que desejamos exterminar a população negra e o ministro é o homem que pode lidar com a situação se os membros mais rebeldes da população negra se derem conta disso”. [16] Em 1939, Sanger renomeou seu Clinical Research Bureau para Birth Control Clinical Research Bureau, ambas instituições integrantes do Project Negro, que se tornou a Planned Parenthood Federation of America em 1942, o nome que atualmente possui. [17]
Considerando as muitas conexões dos Rockefeller com as Nações Unidas e seu papel na sua criação, parece lógico que os dois compartilhem ideais. De fato, o controle e a redução da população são uma das principais preocupações da ONU na medida em que financiam e operam uma variedade de organizações diferentes sob o guarda-chuva da ONU para atender apenas a essa finalidade; mais notavelmente o Fundo das Nações Unidas para a População. [18] Sven Burmester, representante dessa organização, declarou publicamente seu apoio às práticas bárbaras dos programas de controle da população da China. Ele disse: “A China teve a política de planejamento familiar mais bem-sucedida da história da humanidade em termos de quantidade e, com isso, a China fez um favor à humanidade”. [19]
Este é apenas um exemplo da ideologia que é difusiva entre os envolvidos com as Nações Unidas e, infelizmente, grande parte da comunidade científica. Embora apenas um pouco mais será dito sobre a elite global e as ideologias da ONU neste artigo, a evidência está prontamente disponível e deve ser pesquisada para obter uma imagem mais clara da direção que este sistema de governança global está se movendo. Quando se tem uma compreensão básica das conexões entre os Rockefeller e as Nações Unidas, bem como o sistema de crença comum da eugenia e da redução da população, não é tão difícil ver vestígios desses elitistas na arquitetura do Codex Alimentarius. O Codex, afinal, é uma organização criada sob a FAO e a OMS, ambas sob a jurisdição da ONU. As conexões entre os Rockefeller e a indústria farmacêutica e os estabelecimentos médicos também servem de motivo para a destruição do setor de saúde natural e acesso ao suplemento natural. [20]
No entanto, esta evidência não é apresentada para determinar que a meta da tirania global e da redução da população em massa é obra somente da família Rockefeller. Os Rockefellers não são a única família dinástica de elite da classe governamental mundial com esta ideologia, nem estão necessariamente no topo da pirâmide quando se trata da ordem de importância. Os próprios Rockefeller são apenas agentes de indivíduos em posições ainda mais altas, mas que conseguem permanecer invisíveis. No entanto, a conexão dos Rockefeller com o Codex não deve ser ignorada porque neste caso, como em muitos outros, a história prevê o futuro. Os planos globalistas de um estado mundial baseado na eugenia não nasceram com Adolf Hitler e eles certamente não morreram com ele. Eles estão tão vivos hoje como no passado.

Artigo original: https://www.activistpost.com/2010/11/health-tyrants-codex-alimentarius-part.html

NOTAS:

[1]  Griffin, G. Edward. “World Without Cancer.” 2nd edition. American Media. 1997. P. 235-236.

Ver também,

Nield, Michael. “The Police State Road Map.” March 2005. http://www.bibliotecapleyades.net/sociopolitica/policestate_roadmap/policestate_roadmap.htm#Contents  especificamente, o Capítulo 2, “The Great Trust.” http://www.bibliotecapleyades.net/sociopolitica/policestate_roadmap/policestate_roadmap02.htm  Acessado em 25 de Maio de 2010.

[2] Griffin, G. Edward. “World Without Cancer.” 2ª Edição. American Media. 1997. P. 235-236.

Ver também,

Chaitkin, Anton. “Population Control, Nazis, and the U.N.!” Tetrahedron.com. 2002  http://www.tetrahedron.org/articles/new_world_order/UN_Rockefeller_Genocide.html

[3]  Griffin, G. Edward. “World Without Cancer.” 2ª Edição. American Media. 1997. P. 235-236.

[4]  Chaitkin, Anton. “Population Control, Nazis, and the U.N.!” Tetrahedron.com.  2002  http://www.tetrahedron.org/articles/new_world_order/UN_Rockefeller_Genocide.html

[5]  National Park Service: Biographical Vignettes – John D. Rockefeller. http://www.nps.gov/history/history/online_books/sontag/rockefeller.htm

[6]   Council on Foreign Relations.  http://www.cfr.org/about/people/international_advisory_board.html   Acessado em 28 de Abril de 2010.

[7]   The Trilateral Commission: Membership. http://www.trilateral.org/memb.htm  Acessado em 28 de Abril de 2010.

[8]   National Park Service: Biographical Vignettes – John D. Rockefeller. http://www.nps.gov/history/history/online_books/sontag/rockefeller.htm
[9]   Marrs, Jim. “Rule By Secrecy.” Harper. 2000. Pp. 20-58.

[10]   Ibid.

[11]   Black, Edwin. “The Horrifying American Roots of Nazi Eugenics.” History News Network, George Mason University. 11 de Novembro de 2003. http://hnn.us/articles/1796.html

[12]  Chaitkin, Anton. “Population Control, Nazis, and the U.N.!” Tetrahedron.com.  2002  http://www.tetrahedron.org/articles/new_world_order/UN_Rockefeller_Genocide.html

[13]   Black, Edwin. “The Horrifying American Roots of Nazi Eugenics.” History News Network, George Mason University. 11 de Novembro de, 2003. http://hnn.us/articles/1796.html
[14]  Chaitkin, Anton. “Population Control, Nazis, and the U.N.!” Tetrahedron.com.  2002  http://www.tetrahedron.org/articles/new_world_order/UN_Rockefeller_Genocide.html

[15]  Takeuchi, Aiko. “The Transnational Politics of Public Health and Population Control: The Rockefeller Foundation’s Role in Japan, 1920’s – 1950’s.” Rockefeller Archives. 2009. http://www.rockarch.org/publications/resrep/takeuchi.pdf

[16]   “Birth Control or Race Control?” Margaret Sanger Papers Project #28, Outono de 2001. New York University. http://www.nyu.edu/projects/sanger/secure/newsletter/articles/bc_or_race_control.html

[17]   “Birth Control Organizations – American Birth Control League – About Margaret Sanger.” New York University. http://www.nyu.edu/projects/sanger/secure/aboutms/organization_abcl.html

[18]   United Nations Population Fund website. http://www.unfpa.org/public/about  Acessado em 29 de Abril de 2010.

[19]   Watson, Steve; Watson, Paul Joseph; Jones, Alex. “Professor’s ‘Kill 90% of Population’ Comments Echo UN, Elite NGO Policies.”  4 de Abril 2006. http://www.prisonplanet.com/articles/april2006/040406_b_depopulation.htm

[20]  “Medisin.” Whitaker, Scott; Fleming, Jose. Divine Protection Publications. 2007. Pp. 12-14.

Ver também,

Rockwell, Llewellyn Jr. “Medical Control, Medical Corruption.” http://www.lewrockwell.com/rockwell/medical.html

share this

O post CODEX ALIMENTARIUS: A tirania da “saúde” – 2. parte apareceu primeiro em WWW.RADIOVOX.ORG.