Bolsonaro é um fascistoide falastrão. PT é um partido que põe em prática ideias fascistoides


Este ARTIGO foi publicado originalmente neste SITE

“Eu acho que tem que ficar cercado em torno do prédio dele e sair na porrada, Rui”.
Jaques Wagner, chefe do gabinete pessoal de Dilma Rousseff, numa conversa com Rui Falcão interceptada em 10 de março pela Polícia Federal, recomendando ao presidente do PT que, caso fosse decretada a prisão preventiva de Lula, comunicasse aos milicianos que os homens da lei deveriam ser respeitosamente tratados a socos e pontapés. Augusto Nunes, acesso em 19 mar. 2016.
Do Guia politicamente incorreto da história do mundo, de Leandro Narloch, li apenas o capítulo que trata do fascismo. O mais interessante nesse capítulo é que ele apresenta o resultado de uma pesquisa que foi organizada pelo autor para averiguar quais partidos brasileiros teriam maior afinidade com o pensamento fascista.

Narloch pinçou cinco ideias de um dos mais famosos discursos de Mussolini e elaborou um questionário no qual os entrevistados (que eram deputados dos principais partidos brasileiros) teriam de dizer qual o grau de concordância que tinham com aquelas afirmações, numa escala de 0 (“discordo totalmente”) a 4 (“concordo totalmente”). O resultado da pesquisa foi que, embora professores e políticos de esquerda vivam dizendo que o fascismo é uma ideologia de direita, os deputados que mais se identificaram com as ideias de Mussolini (sem saber que eram dele, é óbvio) foram os do PCdoB e, em segundo lugar, do PT. No extremo oposto, o partido que mais rejeitou as ideias nacionalistas e estatistas do Duce foi o DEM, seguido pelo PSDB – e vale notar que o PSDB é de esquerda. No final das contas, o único político de direita que manifestou concordância com o ideário fascista foi Jair Bolsonaro. Aliás, ele foi o segundo político, considerando todos os entrevistados, que mais concordou com Mussolini!

Então, quando digo que Bolsonaro é um fascistoide, não é só força de expressão e nem é só por conta do elogio que ele fez a um maldito torturador como Ustra. Do mesmo modo como não é só força de expressão dizer que o PT e seus aliados de esquerda são fascistoides. Nesse sentido, cabem fazer duas observações sobre a votação do impeachment e o viés autoritário que ainda é muito forte na política brasileira.
A primeira é que o impeachment de Dilma está plenamente ancorado na legalidade, de modo que não importa em nada a ideologia de quem vota “sim” para avaliar a legitimidade da campanha “Fora, Dilma”.  Não existe nem sombra de dúvida de que ela cometeu crime contra a ordem tributária por conta das “pedaladas fiscais”, e é uma mentira descarada dizer que os presidentes anteriores fizeram a mesma coisa que ela, conforme a explicação didática disponível num vídeo de Felipe Moura Brasil. Além do mais, Bolsonaro também votou “sim” para afastar Collor, certo?
A segunda observação é que Lula e o PT são muitas vezes mais danosos para a democracia do que os discursos de Jair Bolsonaro. Afinal, temos de convir que Bolsonaro é e sempre foi um franco atirador, um político que nunca passou de deputado e que, por isso, nunca teve poder para colocar em prática suas ideias autoritárias. Mas o PT é um dos maiores partidos do Brasil, já governa o país há 14 anos e há décadas exerce influência direta sobre os fundos de pensão de estatais, inúmeros sindicatos e “movimentos sociais”.
O resultado é que, enquanto Bolsonaro não sai do “blá, blá, blá” sobre fuzilar FHC e sobre haver mulheres que não merecem ser estupradas por serem feias, o PT fez as seguintes barbaridades, entre outras:
  • ajudou economicamente a ditadura cubana pela contratação de milhares de médicos explorados por esse regime;
  • deportou dois atletas cubanos que tentaram fugir da ditadura daquele país;
  • livrou o terrorista Cesare Battisti de pegar cadeia na Itália;
  • deixou de aplicar a “medida provisória anti-invasão”, de maio de 2000, o que fez explodir a violência no campo, inclusive com aumento do número de mortes em conflitos agrários;

Resumindo: Dilma tem de ser impedida por questões constitucionais e, por isso mesmo, democráticas. Bolsonaro é um fascistoide que fica só no discurso autoritário radical que lhe rende votos suficientes para se reeleger deputado pela vida toda. Já o PT é um partido fascistoide que, pelo seu imenso poder, causa inúmeros danos práticos à democracia no Brasil e no exterior. 
Ainda bem que o poder do PT está diminuindo.