Hungria e Eslováquia elogiam decisão da Itália de rejeitar imigrantes ilegais

Os líderes da Hungria, Viktor Orbán, e da Eslováquia, Peter Pellegrini, elogiaram nesta terça-feira (12) a decisão da Itália de não autorizar a entrada da embarcação com centenas de imigrantes ilegais a bordo.

“Quando ouvi a notícia, suspirei e disse: finalmente!”, declarou o primeiro-ministro da Hungria à imprensa em Budapeste.

O novo governo direitista da Itália rejeitou a chegada em seus portos de uma embarcação que transportava 629 refugiados, uma medida que foi criticada pela ONU, pelo Conselho da Europa e por várias ONGs.

Segundo o líder húngaro Viktor Orbán, “durante muito tempo” se argumentou que as fronteiras marítimas não podiam ser defendidas.

“O que faltava era a vontade e não a capacidade”, acrescentou Orbán, conhecido pela rejeição categórica à imigração e aos refugiados, a quem relaciona com o terrorismo e a criminalidade.

Por sua vez, o líder eslovaco, Peter Pellegrini, considerou que atualmente, se uma pessoa “se joga na água, pode ter certeza que será levada ao território da União Europeia”.

“A decisão italiana é só um começo que obrigará outros países a criar um sistema eficaz de defesa das fronteiras”, opinou o primeiro-ministro da Eslováquia.

“Não mudaremos nossa visão de poder decidir com quem queremos conviver”, disse Pellegrini, que acrescentou que a maioria da população da Europa “está de acordo com o que diz sobre o tema o Grupo de Visegrado” (formado pela Hungria, Eslováquia, Polónia e República Tcheca).

Com informações de BOL

Dilma Rousseff quer ‘rediscutir o papel da mídia’

Um dia após todos os jornais petistas, assim como veículos da grande mídia, propagarem uma notícia falsa sobre o papa Francisco enviando um rosário para o detento Lula, a petista Dilma Rousseff fala em “rediscutir o papel da mídia” no Brasil.

Em entrevista para o site do MST, ex-presidente Dilma Rousseff falou sobre o atual cenário político e um programa para alavancar uma tal de “radicalização democrática” no Brasil.

A petista aproveitou o espaço no site do grupo extremista de esquerda Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) para clamar por mudanças no amplo controle da grande mídia:

Uma das questões essenciais que os movimentos populares têm que levantar a bandeira, levando em conta o aumento dos índices de desconfiança da população nessa mídia oligopolizada já comprovados em pesquisas, é rediscutir o papel na reconstrução da democracia do Brasil do que significa a mídia.

Apesar do discurso contrário ao poderio da velha imprensa, Dilma deixou claro que sua principal preocupação é o fortalecimento das mídias independentes sem viés esquerdista no país:

‘Uma mídia que tenha opiniões diversas, divergentes e que possa romper com este verdadeiro monolito do pensamento (que é liberal, pró-mercado, mas também que defende o escola sem partido, que criminaliza a questão de gênero e as lutas populares)’, acrescentou a petista.

Fica claro que, caso um dia voltem ao poder, o Partido dos Trabalhadores (PT) vai lutar ativamente para censurar todos os veículos que ousem discordar da agenda progressista politicamente correta.

Com informações de MST

Número de empregados no Reino Unido atinge recorde

O número de cidadãos empregados no Reino Unido continuou a crescer nos três meses até abril.

Apesar de toda narrativa de caos propagada pela grande mídia antes, durante e depois da escolha do povo britânico pela saída da União Européia, a economia da Inglaterra parece não estar sofrendo efeitos negativos com a saída iminente do bloco.

O Reino Unido alcançou uma taxa de emprego recorde de 75,6%, com quase 33 milhões de pessoas trabalhando atualmente.

A taxa de desemprego agora é de 4,2% – uma queda de 0,4% desde o ano passado, com o número de pessoas desempregadas caindo para 115 mil.

As informações foram obtidas em dados divulgados nesta terça-feira (12) pela ONS, a agência nacional de estatísticas.

Com informações do Gov UK

Chanceler da Áustria é ameaçado de morte por extremistas islâmicos

Uma investigação antiterrorismo foi aberta após o chanceler da Áustria, Sebastian Kurz, receber ameaças de morte nas redes sociais depois de anunciar uma ofensiva contra o Islamismo político.

A decisão do governo da Áustria de fechar sete mesquitas e expulsar até 60 imãs como parte de sua campanha contra a radicalização provocou uma onda de indignação online.

Alguns extremistas nas redes sociais chegaram a ameaçar o chanceler Sebastian Kurz pessoalmente.

Enquanto algumas postagens acusavam o chanceler de querer uma “guerra”, outros disseram abertamente que ele deveria “se preparar” para a morte, segundo o jornal austríaco Oesterreich.

Outros posts também disseram que o chefe do governo austríaco “se encontrará em uma caixa de lixo”, enquanto outros acabavam as mensagens com os dizeres: “Allahu Akbar!”.

O gabinete do chanceler confirmou ao jornal que Kurz recebeu “muitas” ameaças de morte, particularmente no Facebook e Instagram, bem como em alguns “serviços de mensagens instantâneas”.

A situação foi considerada tão grave que a agência austríaca de inteligência e contraterrorismo A agência de serviço secreto austríaca, o BVT, lançou uma investigação antiterrorista sobre o assunto, de acordo com o Ministério do Interior.

Medidas adicionais também foram tomadas para aumentar a segurança pessoal de Kurz, que atualmente está em visita a Israel, bem como de alguns outros ministros.

Enquanto isso, o porta-voz do gabinete do chanceler disse que o governo não se deixaria “tirado da razão” e continuaria com sua política como planejado.

Nesta segunda-feira (11), o líder islâmico da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, alertou o governo da Áustria para ser preparar para uma “guerra religiosa”.

Com informações de Sputnik Brasil

Noruega quer ampliar presença de militares dos EUA no país

O governo conservador da Noruega se mostrou favorável nesta terça-feira (12) a prolongar por mais cinco anos, e também a duplicar, a presença de um contingente de fuzileiros navais dos Estados Unidos em seu território.

O governo da Noruega informou em comunicado:

Se o diálogo com os americanos for frutífero, haveria até 700 soldados, distribuídos entre as bases de Vaernes (centro) e Setermoen (norte).

O acordo original, assinado a pedido dos Estados Unidos, estabelece que as tropas americanas façam exercícios e manobras com as norueguesas, e “eventualmente outras forças”, em distintas partes do país nórdico, que é membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

A Rússia protestou em várias ocasiões pela presença de fuzileiros navais americanos no território do país nórdico.

O partido de oposição Esquerda Socialista (SV, na sigla em norueguês) qualificou hoje a decisão de “pouco inteligente” e acusou o Executivo de colocar a Noruega no meio de um conflito entre grandes potências.

Com informações de BOL

Leia a íntegra do documento assinado por Trump e Kim em Singapura

Ambos se comprometeram a unir ‘seus esforços para construir um regime de paz duradoura e estável na Península Coreana’.

Donald Trump e  Kim Jong Un assinaram na madrugada desta terça-feira (12) um documento comum no qual o ditador da Coreia do Norte se compromete com uma desnuclearização completa da Península Coreana.

Leia a seguir a íntegra do texto do acordo, conforme traduzido e propagado pelo Estadão:

O presidente Trump e o presidente Kim Jong-un mantiveram uma profunda, completa e sincera troca de pontos de vista sobre questões relativas ao estabelecimento de novas relações entre os Estados Unidos e a RPDC (República Popular Democrática da Coreia) e à construção de um regime de paz sólido e duradouro na Península Coreana.

O presidente Trump se comprometeu a dar garantias à RPDC, e o presidente Kim Jong-un reafirmou seu firme e inquebrantável compromisso com a total desnuclearização da Península Coreana.

Convictos de que o estabelecimento de novas relações Estados Unidos-RPDC contribuirá para a paz e a prosperidade da Península Coreana e do mundo, e reconhecendo que o estabelecimento da confiança mútua pode promover a desnuclearização da Península Coreana, o presidente Trump e o presidente Kim Jong-un declaram:

1. Os Estados Unidos e a RPDC se comprometem a estabelecer novas relações entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, de acordo com o desejo de paz e de prosperidade dos povos dos dois países.

2. Os Estados Unidos e a RPDC unirão seus esforços para construir um regime de paz duradoura e estável na Península Coreana.

3. Reafirmando a Declaração de Panmunjom de 27 de abril de 2018 (publicada em uma cúpula intercoreana, N.R.), a RPDC se compromete a trabalhar para a desnuclearização completa da Península Coreana.

4. Os Estados Unidos e a RPRC se comprometem a recuperar os restos mortais de prisioneiros de guerra e desaparecidos em ação, incluindo a repatriação imediata daqueles já identificados.

Reconhecendo que a cúpula dos Estados Unidos/RPDC, a primeira deste tipo, é um evento marcante, que nesta data vira a página de décadas de tensão e de hostilidades entre os dois países e augura um novo futuro, o presidente Trump e o presidente Kim Jong-un se comprometem a implementar as disposições desta declaração conjunta de maneira incansável.

Os Estados Unidos e a RPDC se comprometeram a realizar negociações de acompanhamento, conduzidas pelo secretário de Estado, Mike Pompeo, e um homólogo de alto nível da Coreia do Norte, para implementar os resultados da cúpula dos Estados Unidos / RPDC.

O presidente Donald Trump e o presidente Kim Jong-un se comprometem a cooperar para o desenvolvimento de novas relações entre os Estados Unidos e a RPDC e a promoção da paz, da prosperidade.

Israel vai reabastecer o mar da Galileia

O mar da Galileia, onde, segundo a Bíblia, Jesus andou sobre a água, será reabastecido com água do mar dessalinizada.

A decisão foi tomada recentemente por autoridades locais de Israel.

O resgate acontece após o lago atingir seu nível mais baixo em um século, resultado de extensos períodos de seca no inverno consecutivos.

De acordo com o projeto, o governo israelense vai encher o lago com 100 milhões de metros cúbicos de água todos os anos até 2022.

A informação foi confirmada pelo jornal The Guardian junto ao representante do Ministério de Energia e Água do país, Yechezkel Lifshitz.

O Mar da Galileia é um local sagrado para os cristãos e aparece em inúmeras passagens da Bíblia, sobretudo relacionado a milagres operados por Jesus.

Com informações da Sputnik Brasil

Ataques do Talibã deixam pelo menos 25 mortos no Afeganistão

O grupo terrorista Talibã lançou nesta terça-feira (12) vários ataques contra forças de segurança do Afeganistão.

Os terroristas deixaram pelo menos 25 mortos, além de terem capturado um distrito no primeiro dia do cessar-fogo unilateral anunciado pelo Governo.

De acordo com informações do BOL:

Os extremistas atacaram postos das forças de segurança na província nordeste de Badakhshan, onde morreram 14 pessoas; em Ghazni (sudeste), onde faleceram 5 pessoas, e em Sar-e-Pul (norte), que finalizou com 6 vítimas mortais, coincidindo com a cessação das operações ofensivas das Forças Armadas afegãs.

No último dia 7, o presidente afegão, Ashraf Gani, anunciou o primeiro cessar-fogo parcial em 17 anos, por causa do fim do mês sagrado do Ramadã, suspendendo as operações ofensivas contra os talibãs, embora não contra outras forças.

“Não respeitaram o cessar-fogo do Governo e o utilizaram como uma oportunidade para atacar nossas forças”, explicou Baidar.

Trump diz que declarações de Trudeau custarão caro ao Canadá

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira (12) em Singapura que a reunião do G7 celebrada em Quebec foi boa, apesar das disputas.

No entanto, o presidente norte-americano advertiu que as declarações do primeiro-ministro Justin Trudeau custarão caro ao Canadá.

“Tive uma boa reunião com o G7”, disse Trump, ao rebater os comentários de que o encontro foi um fracasso.

As declarações de Justin Trudeau custarão ao Canadá “muito dinheiro”, completou.

Nesta segunda-feira (11), Peter Navarro, membro do alto escalão da Casa Branca, lançou duros comentários contra o premiê canadense.

Com informações da GaúchaZH