Concorrentes do Miss EUA não serão julgadas pela aparência

O Miss América também vai deixar de realizar o tradicional desfile de biquíni.

As mudanças foram anunciadas por Gretchen Carlson, presidente do conselho de diretores do evento:

Nós não somos mais um concurso. Somos uma competição. Nós não vamos mais julgar candidatas por sua aparência física.

Segundo informações do Buzzfeed:

Carlson também disse que, para o desfile de vestidos de noite, será pedido que as concorrentes usem qualquer traje que as faça sentirem-se confortáveis — não necessariamente vestidos de festa tradicionais, como no passado.

As mudanças no Miss América acontecem em meio ao movimento #MeToo. Carlson disse que sabe que “este é um novo começo e que a mudança às vezes pode ser difícil”, mas que a ideia da é “evoluir nesta revolução cultural”.

O Miss América deste ano vai ar em 9 de setembro, um domingo.

Colômbia fará consulta sobre redução de salários dos políticos

O Senado da Colômbia aprovou de forma unânime, nesta terça-feira (5), a realização de uma consulta anticorrupção que prevê a redução dos salários de congressistas e altos funcionários, assim como o aumento das penas contra os corruptos.

Desta forma, os colombianos votarão – em data ainda não definida – sobre sete medidas, incluindo a redução dos salários dos congressistas de 31,3 milhões de pesos (10.771 dólares) para 19,5 milhões de pesos (6.836 dólares).

Entre as medidas há ainda a que impede que condenados por corrupção recebam o benefício da prisão domiciliar, a que obriga os congressistas a prestar contas sobre sua atuação, e a que impõe aos políticos eleitos a apresentação do patrimônio e da renda.

De acordo com informações da Isto É:

Outra medida limita o mandato dos congressistas a dois períodos de quatro anos.

Segundo pesquisa do instituto Invamer publicada em fevereiro passado, a corrupção é o segundo tema que mais preocupa os colombianos, atrás apenas do desemprego.

Após o aval do Senado, o presidente Juan Manuel Santos e a autoridade eleitoral terão oito dias para definir a data da consulta.

As medidas serão aprovadas pelo voto da metade e mais um, com o mínimo total de 12 milhões de eleitores.

Estudantes turcos julgados como terroristas por protestar contra Erdogan

Vinte e dois estudantes de uma grande universidade de Istambul, na Turquia, foram a julgamento por “promoverem o terrorismo” através de um protesto feito no campus da unidade.

O ato era contra as ações militares que o líder islâmico turco, Tayyip Erdogan, havia ordenado na Síria.

Os estudantes estão presos desde o dia 14 de março, após a polícia revistar os dormitórios da Universidade de Bogazici.

A prisão causou raiva em muitos ativistas, levando-os a se reunirem em frente à principal corte de Istambul, no dia do julgamento, com cartazes com frases como “liberdade para Bogazici” e “o direito à educação não pode ser proibido”.

De acordo com o advogado dos estudantes, Doguscan Aydin Aygun, em entrevista à AFP, os acusados podem pegar até 5 anos de prisão caso sejam considerados culpados do crime de propaganda do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que é ilegal.

No começo do ano, a Turquia promoveu uma ação militar em Afrin, região ao norte da Síria, com o apoio de rebeldes sírios, e expulsou da região as Unidades de Proteção aos Curdos (YPG) que são, para a Turquia, um grupo terrorista e um braço do PKK.

Um dia após Afrin ser tomada, um grupo de estudantes da Universidade de Bogazici abriu um estande para vender doces que eles chamaram de “delícias de Afrin”, em memória aos soldados turcos mortos na operação. Porém, em sinal de protesto, outro grupo fez um cartaz que dizia “não há nada de doce em um massacre”.

O presidente Tayyip Erdogan, ao saber do acontecido, classificou os estudantes como “terroristas”.

Os procuradores acusam os estudantes de tentarem descreditar o exército e o Estado taxando-os de “invasores” e de “forças ilegítimas que fazem uso da violência”.

Ao prestar depoimento durante o julgamento, os estudantes negaram ter gritado frases em apoio ao PKK. Sukran Yaren Tuncer, um dos acusados, disse ao juiz que “não fez apologia à violência ou ao terror”. “Eu gritei frases como ‘unidos contra o fascismo’ e ‘sem guerra, pela paz’. São frases universais e usadas em todos os protestos”, continuou.

Fundada no século XIX, sob o nome de Robert College, a Universidade de Bogazici é considerada uma matriz do ensino ocidental e secular na Turquia.

Traduzida e adaptada de France24

Polícia Federal quebra de sigilo telefônico de Temer, Moreira e Padilha

A Polícia Federal (PF) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a quebra do sigilo telefônico do presidente Michel Temer e de seus ministros mais próximos, Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Minas e Energia).

O objetivo é aprofundar a investigação sobre o pagamento de R$ 10 milhões que teria sido feito pela empreiteira Odebrecht e acertado em um jantar no Palácio do Jaburu, residência oficial de Michel Temer, naquele ano.

Os investigadores buscam rastrear telefonemas feitos entre eles nas datas próximas das entregas de dinheiro em espécie relatadas pelos delatores da empreiteira.

De acordo com informações do jornal O Globo:

O pedido da PF, protocolado sob sigilo, chegou ao gabinete do ministro Edson Fachin, do STF, no fim de março, de acordo com fontes do Supremo Tribunal Federal.

Relator da investigação sobre os R$ 10 milhões da Odebrecht, Fachin enviou o processo para uma manifestação da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Os autos foram devolvidos ao gabinete de Fachin há duas semanas.

Reforma no sistema de refúgio da União Europeia fracassa

A proposta para reforma da Convenção de Dublin, tratado que determina as regras de análise de pedidos de refúgio na União Europeia, fracassou nesta terça-feira (5), durante uma reunião de ministros do Interior em Luxemburgo.

Sete países se posicionaram contra o projeto apresentado pela Bulgária, que ocupa a presidência rotativa do bloco.

Itália, Espanha, Áustria, Romênia, Eslovênia, Hungria e Eslováquia, rejeitaram a proposta de reforma do sistema de refúgio.

Já Estônia, Polônia e Reino Unido se abstiveram, enquanto os outros 18 Estados-membros, embora não satisfeitos com a proposta, deixaram a porta aberta para negociações, incluindo Grécia, Malta e Chipre.

A cúpula desta terça-feira mostrou o novo alinhamento do governo da Itália.

O país está cada vez mais próximo das nações que formam o grupo Visegrád: Hungria, Eslováquia, República Tcheca e Polônia.

Com informações de Isto É

Líder do MDB diz que Meirelles pode abrir mão da disputa

Baleia Rossi, líder do MDB na Câmara, falou sobre a possibilidade de o partido abrir mão da candidatura de Henrique Meirelles para fortalecer uma candidatura única de centro.

Baleia Rossi ponderou:

Desde que haja uma construção real de unidade. Não dá para ficarem três gatos pingados dizendo que vai acontecer [a unidade]. Porque se a gente admitir isso [a possibilidade de abrir mão da cabeça de chapa ou mesmo da candidatura] nessas condições, a gente vai acabar enfraquecendo nosso candidato [Meirelles].

A reunião entre o ex-ministro da Fazenda e os deputados do MDB para tratar do apoio à candidatura único do centro — prevista inicialmente para ontem — ficou para a tarde desta quarta-feira (6).

As informações são exclusivas do portal O Antagonista:

“Surpreendentemente, a bancada está até entusiasmada com ele neste momento. O Meirelles supriu a ausência que tínhamos de um nome.”

Pelos cálculos do líder, devem aparecer no encontro algo em torno de 30 parlamentares (atualmente são 50 emedebistas na Câmara).

“A ideia [de unidade] é boa”, insistiu Rossi. “O problema é que todo mundo quer [a unidade] desde que seja para receber apoio, não para dar apoio.”

Facebook compartilhou dados pessoais com empresas da China

O Facebook cedeu dados pessoais de usuários a pelo menos menos quatro empresas da China, uma delas na mira das autoridades dos Estados Unidos e considerada uma “ameaça à segurança nacional”.

A denúncia foi publicada nesta quarta-feira (6) pelo jornal “The New York Times”, que nos últimos dias relatou outros casos de compartilhamento de dados entre a rede social de Mark Zuckerberg e fabricantes de aparelhos.

O acordo teria sido assinado em 2010 com quatro empresas chinesas, como a Huawei, listada pelos serviços de inteligência dos Estados Unidos como uma empresa com potencial de ameaça à segurança, e a Lenovo, a Oppo e a TLC.

Segundo informações propagadas pela Isto É:

Os acordos ainda estão em vigor e, segundo o “NYT”, o Facebook tenta rescindir com a Huawei até o fim da semana. A nova denúncia vem poucos dias após o mesmo jornal publicar que a empresa mantinha até hoje acordos de 2007 para compartilhamento de dados de usuários com a Amazon, Apple, Blackberry e Samsung. Na época, quando não havia tantos aplicativos, o Facebook fechou parcerias com as fabricantes para incluir a sede social nos aparelhos eletrônicos.

Em resposta, o Facebook disse que a “integração com a Huawei, Lenovo, Oppo e TCL são controladas desde o início”. “Aprovamos as experiências do Facebook que estas empresas criaram. Visto o interesse do Congresso no assunto, queremos esclarecer que todas as informações provenientes destas integrações com Huawei foram arquivadas nos dispositivos, e não nos servidores da Huawei”, defendeu Francisco Varela, diretor de Mobile Partnerships do Facebook.

Portal de notícias faz carinho em abortistas!

O portal de notícias BBC fez uma “investigação” em um grupo secreto de Whatsapp no qual se vende clandestinamente o misoprostol, medicamento de uso exclusivamente hospitalar, utilizado em induções de parto ou abortos “legalizados”. A matéria pinta as moderadoras do grupo como heroínas caridosas. As gestantes em desespero geralmente perguntam inicialmente se vão “sangrar até morrer”.
Uma fonte consultada pela redação relata ter tido, há um ano, o chamado aborto retido, nome dado à situação em que o embrião não se desenvolve. Neste caso, a conduta médica é, após a detecção de assistolia (ausência de batimentos cardíacos fetais) no ultrassom, por volta de 7 ou 8 semanas, aguardar, simplesmente aguardar. A mulher que consultamos relata que, no que seria a décima semana de gestação, começou a sangrar e, sim, quase sangrou até morrer, e foi apenas a natureza agindo. Agora, sugerimos que o leitor imagine a hemorragia provocada uma dose cavalar de um medicamento de uso exclusivo de hospitais, sob indicação de leigas cuja única intenção é matar bebês.
A “investigação” deveria ter sido terminada em uma denúncia à polícia, o que imaginamos que o portal de notícias citado no início de nosso texto. Em vez disso, a matéria pinta as moderadoras do grupo como heroínas. Parabéns por incentivar crimes, em vez de fazer jornalismo.

Veteranos de guerra reunidos na Normandia para comemorar o Dia D

Veteranos que estiveram entre os soldados que chegaram à Normandia durante o Dia D estão reunidos para comemorar e relembrar a batalha, a libertação da Europa Ocidental e seus parceiros caídos na guerra.

Em uma comemoração que acontece todos os anos, ex-militares dos Estados Unidos, Reino Unido e Canadá se unem a outras como os da França e Polônia para relembrar as batalhas que aconteceram entre 1944 e 1945.

As comemorações tiveram início na terça-feira (5), dia anterior ao aniversário da batalha, com cerimônias no museu de Pegasus Bridge e nos cemitérios militares da Normandia, no norte da França.

Ray Shuck, 95 anos, na Pegasus Bridge, na França / Foto: Matt Cardy/Getty Images

Mais de 300.000 tropas aliadas lançaram uma campanha militar contra a Alemanha Nazista com um ataque combinado de mar, terra e ar, em 6 de junho de 1944, contra várias regiões da costa norte da França, no que ficou conhecido como Dia D.

Roy Maxwell, 96 anos, em cemitério militar na costa de Caen, França. / Foto: Matt Cardy/Getty Images

Traduzida e adaptada de Breitbart

22 mil reservistas participam de manobras militares na Suécia

Esta é a primeira vez desde 1975 que a Suécia organiza um exercício militar em nível nacional com os reservistas.

A Suécia convocou 22 mil reservistas nesta quarta-feira (6) para um exercício inédito em 40 anos, com o objetivo de pôr à prova a mobilização dessa força de apoio ao Exército.

Anunciadas na terça-feira (5), as manobras mobilizarão 40 batalhões ao longo do território sueco e respondem a um esforço de remilitarização do país, em um contexto de tensões entre a Rússia e os países ocidentais.

Semanas atrás, o governo sueco anunciou publicação de milhões de folhetos oferecendo dicas sobre o que fazer em caso de conflito ou desastre natural.

De acordo com informações da Isto É:

O Exército espera que responda a seu chamado pelo menos metade dos voluntários, que ocupam funções de vigilância, defesa e logística, principalmente terrestres.

É a primeira vez desde 1975 que o Estado-Maior organiza um exercício em nível nacional com os reservistas.

A Suécia, que não viveu nenhum conflito armado em seu território em dois séculos, não faz parte da Otan, mas tem um acordo de associação com a Aliança Atlântica, como explica o Jornal do Brasil.