MP pede que TRE suspenda registro de candidatura de Lindbergh

A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio (PRE-RJ) pediu nesta quarta-feira (5) que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) suspenda, em caráter liminar, a tramitação do pedido de registro de candidatura à reeleição do senador Lindbergh Farias (PT).

A Procuradoria quer quer a candidatura fique suspensa até que a Câmara Municipal de Nova Iguaçu aprecie as contas de quando ele era prefeito da cidade. O petista governou Nova Iguaçu de 2004 a 2010, quando renunciou para se candidatar a senador.

Em 21 de agosto, a PRE-RJ impugnou o registro de Lindbergh Farias. O Ministério Público entende que o senador deve ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa porque o Tribunal de Contas do Estado (TCE) reprovou as contas de sua gestão na prefeitura do município.

No entanto, por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), a Câmara Municipal é o órgão competente para julgar as contas de prefeito, uma vez que o parecer do tribunal de contas tem caráter meramente opinativo. Segundo o MP, o processo está parado desde 2014.

Adaptado da fonte Globo

Papa Francisco recebe cardeal acusado de encobrir pedofilia

O papa Francisco se encontrou na última quinta-feira (30) com o arcebispo de Washington, nos Estados Unidos, cardeal Donald Wuerl, acusado de ter acobertado crimes de pedofilia na Pensilvânia.

A reunião foi revelada pela emissora norte-americana CNN e teria servido para discutir a “situação pessoal” do prelado. O porta-voz da Arquidiocese de Washington confirmou que Wuerl viajara ao Vaticano na semana passada, porém sem dar mais detalhes.

O cardeal é citado em um relatório do Ministério Público da Pensilvânia que diz que a Igreja Católica encobriu centenas de casos de pedofilia no estado, envolvendo cerca de 300 religiosos suspeitos de crimes sexuais e mais de mil vítimas.

Segundo o documento, Wuerl “contribuiu” para combater abusos no clero, mas também permitiu que padres suspeitos de pedofilia continuassem atuando, na época em que era arcebispo de Pittsburgh, na Pensilvânia.

Adaptado da fonte ANSA

Geraldo Alckmin parte para ataque contra promotor

O candidato do PSDB ao Planalto, Geraldo Alckmin, seguiu linha de defesa semelhante à utilizada pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e atacou Ricardo Castro, o promotor que ajuizou ação de improbidade administrativa contra ele.

Para o ex-governador de São Paulo, “transformar as ações do Ministério Público em atos políticos não é compatível com o estado de normalidade democrática que vivemos hoje no Brasil”.

Na ação, o promotor do MP-SP pediu que Geraldo Alckmin seja condenado à perda dos valores ilicitamente acrescidos aos patrimônios, perda de eventual função pública que ocupe e a suspensão dos direitos políticos.

Adaptado da fonte Crusoé

Em editoral, Estadão iguala Jair Bolsonaro ao PT

“Empreitada antidemocrática” é o título do editoral publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo nesta quarta-feira (5).

“Além dos inúmeros problemas que o aguardam, o futuro governante terá de lidar com a irresponsabilidade e a truculência de petistas e bolsonaristas”, diz o subtítulo da matéria.

O jornal da grande mídia brasileira afirmou que “Lula da Silva e o PT são gêmeos univitelinos de Jair Bolsonaro (PSL), candidato que demonstra idêntico desapreço pela democracia e por suas instituições”.

O editorial continuou tecendo comparações entre o presidiário Lula e o militar Jair Bolsonaro:

Ao PT, nessa empreitada antidemocrática, agora se junta Bolsonaro, que hoje é o principal porta-voz de um setor da sociedade que defende a implosão do sistema político, considerando-o totalmente corrompido. Pouco importa o que exatamente Bolsonaro se propõe a fazer como presidente, pois nem ele mesmo sabe; o que interessa é que o deputado incorpora, com o discurso truculento, todo o dissabor de eleitores que hoje vinculam a democracia ao que há de pior no País.

Esta não foi a primeira vez que o Estadão atacou o candidato do PSL ao Planalto. Algumas semanas atrás, o periódico classificou os eleitores de Bolsonaro como “irracionais”.

Ministério da Saúde confirma 1,5 mil casos de sarampo no Brasil

Mais de 1,5 mil casos de sarampo foram confirmados no país, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados nesta quarta-feira (5).

O levantamento, consolidado a partir de informações das secretarias estaduais, ainda apontou que 7.513 situações estão em investigação.

O surto da doença afeta dois estados, o Amazonas, com 1.232 casos confirmados; e Roraima, com 301, sendo que 74 ainda estão sendo investigados.

De acordo com o governo federal, a proliferação da doença nessas regiões está relacionada à importação “já que o genótipo do vírus (D8) que está circulando no país é o mesmo que circula na Venezuela, país que enfrenta um surto da doença desde 2017”.

Alguns casos isolados e relacionados à importação também foram identificados em São Paulo (2), no Rio de Janeiro (18), no Rio Grande do Sul (18), em Rondônia (2), Pernambuco (4) e no Pará (2).

Em nota, o ministério declarou:

O Ministério da Saúde permanece acompanhando a situação e prestando o apoio necessário aos estados. Cabe esclarecer que as medidas de bloqueio de vacinação, mesmo em casos suspeitos, estão sendo realizadas em todos os estados.

Pelo balanço atualizado, oito pessoas morreram por sarampo em Roraima, sendo três estrangeiros e um brasileiro, e quatro no Amazonas, todos brasileiros.

Adaptado da fonte EXAME

João Amoêdo defende taxação de igrejas

O candidato à Presidência pelo Partido Novo, João Amoêdo, participou de uma sabatina nesta quarta-feira (5), realizada pelo G1 em parceria com a rádio CBN.

A intenção de João Amoêdo, se eleito, é vender bancos públicos, como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil (BBAS3), para estimular a concorrência e fazer com que o poder público se concentre apenas na prestação de serviços fundamentais.

O candidato do Novo também se mostrou contra a descriminalização da maconha e das cotas em universidades públicas.

Na parte final da entrevista, o empresário participou da sessão Pinga Fogo, onde deu respostas curtas para diversos temas.

Amoêdo ainda se mostrou a favor da taxação de igrejas e da adoção de crianças por casais homossexuais e contra a descriminalização da maconha e das cotas em universidades públicas.

Adaptado da fonte InfoMoney

Temer enquadra Alckmin por críticas no programa eleitoral

O presidente do Brasil, Michel Temer (MDB), rebate as críticas da campanha tucana e lembra que vários ministros do seu governo fazem parte de partidos que apoiam o presidenciável Geraldo Alckmin.

Através de um vídeo divulgado no seu perfil oficial no Twitter na noite desta quarta-feira (5), o presidente Michel Temer respondeu as, segundo ele, falsidades” que estão sendo veiculadas na campanha do PSDB sobre o atual governo.

Temer lembra que o ministro da Educação é Mendonça Filho (DEM), um partido que apoia a candidatura tucana. O presidente também lembra que o Ministério da Saúde é do PP, outro partido do ‘centrão’.

Ao longo dos quase 2 minutos de vídeo, Temer apresenta vários ministros e partidos ao candidato Geraldo Alckmin, deixando claro que eles fazem parte do mesmo grupo político, também conhecido como ‘establishment’.

Confira abaixo:

Madrasta ordena estupro coletivo de menina de 9 anos na Índia

A polícia prendeu seis pessoas por relação com o estupro coletivo e assassinato de uma menina de nove anos de idade no estado da Caxemira, na Índia. A madrasta da criança teria ordenado os crimes por vingança.

Segundo os policiais, a mulher teria mandado o filho de 14 anos e outros três homens estuprarem a vítima. Ela assistiu ao ato.

A menina também foi torturada, mutilada e queimada com ácido.

Seu corpo foi encontrado no domingo, em uma floresta no distrito de Baramulla. Ela estava desaparecida havia 10 dias.

Todos os acusados foram presos.

De acordo com os policiais, a madastra estaria supostamente chateada porque a menina era a favorita do pai.

“Descobrimos que a madrasta nutria rancor contra a segunda esposa do marido e os filhos que ele teve nesse casamento”, disse o policial Mir Imtiyaz Hussain ao site de notícias NDTV.

Hussain afirmou que a garota foi morta com um machado depois do estupro coletivo.

Ele disse que um dos acusados, de 19 anos, “arrancou os olhos dela com uma faca afiada e derramou ácido em seu corpo”.

Adaptado da fonte UOL

O trajeto do dinheiro da Odebrecht para a campanha de Alckmin

O Ministério Público de São Paulo descreveu o caminho do dinheiro do departamento de propinas da empreiteira Odebrecht para a campanha de 2014 de Geraldo Alckmin ao governo do estado de São Paulo.

O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, está sendo alvo de uma ação de improbidade administrativa por supostamente ter recebido R$ 10 milhões via caixa 2 da Odebrecht para campanhas eleitorais.

Intermediário dos pagamentos do departamento de propinas da Odebrecht à campanha de Alckmin ao governo de São Paulo em 2014, Arnaldo Cumplido recebia da secretária Maria Lúcia Tavares a indicação dos valores liberados e uma senha relativa à referida entrega do numerário em questão, de acordo com o documento oficial da ação de improbidade administrativa do Ministério Público paulista contra o ex-governador, obtido por O Antagonista.

Arnaldo repassava os dados ao diretor Luiz Antônio Bueno, “a quem cabia entrar em contato com o beneficiário do pagamento ilícito, no caso Marcos Monteiro”, o “M&M”, “em benefício” de Alckmin, indicando o local para a retirada do mesmo.

Para realizar a entrega desses valores, o departamento de propinas – gerenciado por Hilberto Mascarenhas – “se valia dos serviços do doleiro” Álvaro Novis, conhecido pelas alcunhas de “Carioquinha”, caso as entregas fossem realizadas no Rio, ou “Paulistinha”, caso fossem em São Paulo.

Recebida a programação, Álvaro Novis, vulgo “Paulistinha”, acionava seu funcionário, Rogério Martins, ou também as transportadoras de valores Transnacional e Transmar (ou Trans-Expert), “para que, por meio de hospedagens em hotéis, fossem feitas as entregas das vantagens indevidas”, “depois das aprovações” de Benedicto Júnior e Luiz Antônio Bueno e a viabilização de recursos pelo então executivo Fernando Migliaccio.

Depois de descrever o caminho do dinheiro do departamento de propinas da Odebrecht para a campanha de 2014 de Geraldo Alckmin ao governo do estado de São Paulo, o Ministério Público paulista afirma:

Desta forma, foram disponibilizadas as seguintes quantias, com respectivas senhas, à disposição do codinome ‘M&M’, que, como já dito, identificava o requerido Marcos Antônio Monteiro, funcionário público, em benefício” de Alckmin:

a) 30 de abril de 2014 – R$ 1 milhão – senha ‘Cedro’ – “valor este efetivamente pago, por meio de entrega feita pela transportadora Transmar ao funcionário Rogério Martins, na mesma data, a portador indicado” por M&M, “em benefício” de Alckmin;

b) 5 de agosto de 2014 – R$ 1,5 milhão – senha ‘Tesoura’ – “valor este pago em 07 de agosto de 2014, por meio de entrega feita pela transportadora Transmar ao funcionário Rogério Martins, na mesma data, a portador indicado” por M&M, “em benefício” de Alckmin;

c) 13 de agosto de 2014 – R$ 500 mil – senha ‘Marceneiro’ – “quantia efetivamente paga pelo funcionário Rogério Martins em 15 de agosto de 2014 com o uso de recursos que lhe foram entregues pela Transportadora Transmar a portador indicado” por M&M, “em benefício” de Alckmin;

d) 21 de agosto de 2018 – R$ 1 milhão – senha ‘Pudim’ – “cujo pagamento deve ter sido feito de acordo com a sistemática acima a portador indicado” por M&M, “em benefício” de Alckmin;

e) 26 de agosto de 2014 – R$ 500 mil – senha ‘Bolero’ – “cujo pagamento foi efetivamente realizado em 29 de agosto de 2014 a portador indicado” por M&M, “em benefício” de Alckmin, “com recursos que lhe foram disponibilizados pela transportadora Transmar, na mesma data”;

f) 09 de setembro de 2014 – R$ 1 milhão – senha ‘Sardinha’ – “cujo pagamento ocorreu em 11 de setembro de 2014, por meio de recursos recebidos por Rogério Martins da transportadora Transmar a portador indicado” por M&M, “em benefício” de Alckmin;

g) 18 de setembro de 2014 – R$ 1 milhão – senha ‘Cimento’ – “cujo pagamento ocorreu em 17 de setembro de 2014 por meio de Rogério Martins a portador indicado” por M&M, “em benefício” de Alckmin;

h) 25 de setembro de 2014 – R$ 1 milhão – senha “Chocolate” – “cujo pagamento deve ter sido feito de acordo com a sistemática acima a portador indicado” por M&M, “em benefício” de Alckmin;

i) 29 de outubro de 2014 – R$ 300 mil – senha “Martelo” – “cujo pagamento foi realizado por Rogério Martins em 31 de outubro de 2014 a portador indicado” por M&M, “em benefício” de Alckmin.

Com exceção dos pagamentos previstos nos itens ‘d’ e ‘h’, todos os pagamentos feitos pela Odebrecht “de forma ilícita” a portador indicado por M&M, em benefício de Alckmin, “foram registrados em planilhas quer do funcionário Rogério Martins, da testemunha Álvaro José Galliez Novis, quer da Transportadora de Valores Transmar, documentos esses que foram entregues a este 9º Promotor de Justiça de Patrimônio Público e Social da Capital e juntados aos autos do inquérito civil que ora instruem a presente petição inicial”.

Adaptado da fonte O Antagonista

Candidatos de direita saem na frente em Minas Gerais

Minas Gerais está flertando com a direita conservadora. É o que mostra o site de simulação de votos Urna Digital.

Para o cargo de deputado federal, o candidato conservador do PSL, Cabo Junio Amaral, aparece em primeiro lugar com 6% das intenções de voto.

Disputando o cargo de deputado estadual, mais um conservador lidera a corrida. Também do PSL, Bruno Engler, nome de Jair Bolsonaro em Minas, aparece com 5%.

Para presidente os mineiros apoiam amplamente o candidato Jair Bolsonaro (PSL). O parlamentar aparece com 54% das intenções de votos.

É possível participar da simulação de votos acessando: www.urnadigital.com.

O post Candidatos de direita saem na frente em Minas Gerais apareceu primeiro em Terça Livre TV.