Premier da Suécia envolvido em investigação contra Lula e Dilma

Cinco anos após a compra dos caças Gripen NG pelo Brasil, o primeiro-ministro da Suécia e os principais executivos da Saab (fabricante dos caças) compareceram na sexta-feira (08) ao Tribunal Distrital de Estocolmo para prestar depoimento em processo que acusa Lula de tráfico de influência nas negociações que levaram à aquisição dos jatos.

Temer sanciona Sistema Único de Segurança Pública

O presidente Michel Temer (MDB) sancionou nesta segunda-feira (11) o projeto que institui o Sistema Único de Segurança Pública) e a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social. O Susp deverá integrar órgãos de segurança e inteligência, padronizar informações, estatísticas e procedimentos, além de monitorar resultados das ações propostas e em andamento.

Fonte: G1

Donald Trump e Kim Jong-un assinam acordo

O presidente americano Donald Trump e o ditador norte-coreano Kim Jong-un assinaram nesta terça (12) um documento, no qual o norte-coreano se compromete com a total desnuclearização de seu país. Abaixo, leia a íntegra do documento assinado pelos dois dirigentes:

“O presidente Trump e presidente Kim Jong-un mantiveram uma profunda, completa e sincera troca de pontos de vista sobre questões relativas ao estabelecimento de novas relações entre os Estados Unidos e a RPDC (República Popular Democrática da Coreia) e à construção de um regime de paz sólido e duradouro na península coreana.

O presidente Trump se comprometeu a dar garantias à RPDC, e o presidente Kim Jong-un reafirmou seu firme e inquebrantável compromisso com a total desnuclearização da península coreana.

Convictos de que o estabelecimento de novas relações Estados Unidos-RPDC contribuirá para a paz e a prosperidade da península coreana e do mundo, e reconhecendo que o estabelecimento da confiança mútua pode promover a desnuclearização da península coreana, o presidente Trump e o presidente Kim Jong-un declaram:

1. Os Estados Unidos e a RPDC se comprometem a estabelecer novas relações entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, de acordo com o desejo de paz e de prosperidade dos povos dos dois países.

2. Os Estados Unidos e a RPDC unirão seus esforços para construir um regime de paz duradoura e estável na península coreana.

3. Reafirmando a Declaração de Panmunjom de 27 de abril de 2018 (publicada em uma cúpula intercoreana, N.R.), a RPDC se compromete a trabalhar para a desnuclearização completa da península coreana.

4. Os Estados Unidos e a RPRC se comprometem a recuperar os restos mortais de prisioneiros de guerra e desaparecidos em ação, incluindo a repatriação imediata daqueles já identificados.

Reconhecendo que a cúpula dos Estados Unidos/RPDC, a primeira deste tipo, é um evento marcante, que nesta data vira a página de décadas de tensão e de hostilidades entre os dois países e augura um novo futuro, o presidente Trump e o presidente Kim Jong-un se comprometem a implementar as disposições desta declaração conjunta de maneira incansável.

Os Estados Unidos e a RPDC se comprometeram a realizar negociações de acompanhamento, conduzidas pelo secretário de Estado, Mike Pompeo, e um homólogo de alto nível da Coreia do Norte, para implementar os resultados da cúpula dos Estados Unidos/RPDC.

O presidente Donald Trump e o presidente Kim Jong-un se comprometem a cooperar para o desenvolvimento de novas relações entre os Estados Unidos e a RPDC e a promoção da paz, da prosperidade e da segurança da península coreana e do mundo”.

Nasce a mais requintada ditadura rotulada “crédito social”

Comprar ou não comprar? Comer ou não comer?
O sistema socialista do ‘crédito social’ dirá se você pode e o que é que pode. ç
Crédito: Kevin Hong
Luis Dufaur

Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs

A rama financeira de Alibaba, o maior conglomerado de comércio eletrônico do planeta aliás chinês, já passou a incluir em seu sistema o ‘Zhima Credit’.

Esse apresenta no smartphone um inexplicado número de três cifras, entre 350 e 950.

O jornalista de “La Nación” de Buenos Aires constatou que seu número era 654, uma qualificação considerada ‘excelente’.

Muito poucos sabem o que significa. Trata-se da entrada no sistema de pontuação social aplicado por Alibaba, para julgar seus clientes.

Oficialmente é uma nota à conduta dos usuários e um indicador da confiança que merecem.

O algoritmo que fixa a qualificação é extremamente opaco, e considera o que compram, a quem, multas e conduta face aos créditos bancários.

A bicicleta é tudo para muitos milhões de chineses. O 'crédito social' dirá quem pode usá-las, quando e como. Rua de Suzhou.
A bicicleta é tudo para muitos milhões de chineses.
O ‘crédito social’ dirá quem pode usá-las, quando e como. Rua de Suzhou.

Os usuários melhor cotados podem usar sala VIP em aeroportos, alugar sem fazer depósitos de garantia ou receber empréstimos em condições mais favorecidas.

Uma das principais locadoras de bicicletas de China, Mobike, vai usar a pontuação para penalizar os usuários de baixa nota: terão que pagar o dobro.

E os qualificados como ‘deficiente’ terão que pagar até cem vezes mais.

O preço fica inacessível e não terão bicicleta.

Deixar a bicicleta em local improprio ou danifica-la, violar regras do trânsito, implicará queda na qualificação.

Mas isso não é um sistema empresarial: se trata das primeiras penetrações do “crédito social” que o governo comunista aprovou em 2014 e que está introduzindo paulatinamente.

Em seu bojo contém o mais orwelliano sistema de repressão política.

Tirou uma selfie? Um número dirá se você ou seus amigos são 'bons' ou 'ruins' para a ditadura.
Tirou uma selfie? Um número dirá se você ou seus amigos
são ‘bons’ ou ‘ruins’ para a ditadura. Crédito: Kevin Hong

Essa começa dissimulada sob rótulos como ‘credibilidade jurídica’; ‘honestidade comercial’, ‘integridade social’ ou ter manifestado nas redes sociais ideias que desagradam ao regime.

Até a pontuação dos amigos afetará aos cidadãos que lhe são próximos.

O sistema, ainda não inteiramente implantado, parece de ciência ficção.

Em março, a Comissão Nacional para Reforma e Desenvolvimento anunciou que os faltosos na administração serão punidos com a proibição de viajar em avião e em trem de alta velocidade.

Aqueles que tenham pendências na Justiça ou dívidas importantes serão atingidos. O veto durará um ano e será emendável.

Em 2017, 6,15 milhões de pessoas foram excluídas desses transportes públicos.

A jovem Pang [nome fictício por segurança] conta:

“fiquei sabendo que não poderia voar quando tentei comprar uma passagem pela internet. Apareceu uma página dizendo que estava na lista negra e que teria que procurar um transporte alternativo”, disse a “El País” de Madri.

Sua única alternativa era um trem que demora mais de 14 horas.

O mais grave é o modo como se cria a lista negra. O pai de Pang não pode pagar um crédito no banco, então a filha foi castigada, malgrado ela tenha obtido um refinanciamento do próprio banco.

A lista negra se irá sofisticando na medida em que se digitalizem ou integrem os diferentes bancos de dados pessoais já existentes.

Viajando? Um número dirá se você pode pegar o metrô, o trem ou o avião em função da fidelidade ao regime.
Viajando? Um número dirá se você pode pegar o metrô,
o trem ou o avião em função da fidelidade ao regime. Crédito: Kevin Hong

Segundo o governo, o propósito é “restringir os movimentos e operações daqueles que não são confiáveis”.

As pessoas julgadas “incômodas” pelo regime terão cerceadas suas liberdades mais básicas, segundo denunciou Human Rights Watch.

Não há mecanismo de defesa para os “desqualificados” como Pang.

O Grande Irmão chinês está cada vez mais onipresente e onipotente, conclui “El País”.

O modelo é exportável como a tecnologia chinesa.

E uma nova raça de párias se espalhará pela Terra selecionada e condenada por computadores manipulados pelo Partido Comunista sob o rótulo de “crédito social”.

Alguém poderá dizer que qualquer parecido com o 666 do Apocalipse não é mera coincidência:

“16. (…) conseguiu que todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, tivessem um sinal na mão direita e na fronte,

17. e que ninguém pudesse comprar ou vender, se não fosse marcado com o nome da Fera, ou o número do seu nome” (Apocalipse, 13, 16-17).

Encontro histórico entre Trump e ditador Kim Jong-Un acontece em Singapura

Começou às 22h horário de Brasília, 9h horário local, dessa segunda-feira (11) o encontro histórico entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, no Capella Hotel, em Singapura, no que é a primeira cúpula entre líderes destes países em exercício do cargo.

Em um gesto simbólico, a dupla deu um aperto de mão histórico, que sinaliza a abertura para as negociações sobre o programa nuclear norte-coreano. O encontro era impensável até pouco tempo atrás, quando os p presidente americano e o ditador comunista trocavam insultos e provocações.

 

Ditador norte-coreano aperta a mão do republicano Donald Trump.

Em seguida, os dois irão se reunir a sós em uma sala separada, mas não se sabe por quanto tempo irão conversar. A expectativa, no entanto, é a de que as conversas desta rodada sejam um primeiro passo rumo à um entendimento entre os países e novas reuniões são esperadas pelos próximos meses. Depois, serão acompanhados de assessores para uma reunião aberta.

Informações: Exame

EUA extraditam ao Panamá ex-presidente Martinelli, acusado de espionagem

O ex-presidente panamenho Ricardo Martinelli foi extraditado nesta segunda-feira (11) dos Estados Unidos para responder em seu país a acusações de espionagem, depois de passar um ano em uma prisão federal em Miami.

Escoltado por agentes federais, Martinelli embarcou em um voo da Jet Logística que partiu do aeroporto de Opa Locka.

Com as mãos algemadas, o ex-presidente saiu do veículo que o trouxe da prisão para o aeroporto e cumprimentou os repórteres no local com o polegar para cima, dizendo: “Eu estou pronto para ver a Copa do Mundo!”.

Vários de seus partidários o aguardam em frente ao Supremo Tribunal de Justiça da capital panamenha.

Martinelli deve responder na Justiça pelo desvio de fundos para criar uma rede de espionagem que atingiu 150 pessoas durante seu mandato (2009-2014), incluindo jornalistas e políticos.

A Justiça panamenha também investiga uma série de outros casos de corrupção. Mas sob o tratado de extradição entre os dois países, que entrou em vigor em 1905, o ex-presidente só pode ser processado em seu país pelos crimes pelos quais foi requisitado na extradição.

Depois de se mudar para Miami em 2015 para evitar os processos judiciais em seu país, Martinelli foi preso em 12 de junho do ano passado.

Ao anunciar, na sexta-feira, sua decisão de aceitar o pedido do Panamá, o Departamento de Estado dos Estados Unidos indicou que a extradição se baseava nesta cláusula do tratado, e que, desta forma, só poderia ser processado por espionagem.

O ex-presidente chega em seu país em um ano politicamente agitado antes das eleições gerais de maio do próximo ano.

Seu porta-voz, Luis Eduardo Camacho, disse que Martinelli espera apresentar sua candidatura como prefeito ou deputado, já que não passaram os dez anos necessários para voltar a concorrer à presidência.

Fonte: Agence France Presse