Bolsonaro diz que declaração do filho sobre o STF é ‘página virada’

O presidenciável Jair Bolsonaro disse em entrevista ao SBT, gravada na manhã desta segunda-feira (22), que seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, já foi repreendido pela declaração sobre o STF.

A fala em questão está em um vídeo gravado há quatro meses, ams que viralizou nas redes sociais neste fim de semana.

Jair Bolsonaro (PSL) declarou:

Eu já adverti meu filho. A resposta na verdade é dele. Isso aconteceu há quatro meses. Ele aceitou responder uma pergunta que não tinha nem pé nem cabeça e resolveu levar para o lado desse absurdo aí.

E acrescentou:

E eu até fui pesado com meu garoto: ‘quem fala isso tem que buscar um psiquiatra’. E ele já assumiu a responsabilidade, se desculpou. E no que depender de nós, obviamente, essa é uma página virada na história.

As declarações de Eduardo Bolsonaro provocaram reações de Fernando Haddad (PT), concorrente de Jair Bolsonaro na disputa presidencial, e de ministros do STF.

Alexandre de Moraes, por exemplo, demonstrou indignação e pediu que a Procuradoria-geral da República abra uma investigação sobre o ocorrido.

Adaptado da fonte Jovem Pan

A soberba de Lula com relação a Bolsonaro

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, pivô do escândalo do mensalão, garimpou uma entrevista de Lula aos jornalistas José Trajano, Juca Kfouri e Antero Grego, da ESPN Brasil.

“A conversa coloca em xeque o propalado faro político do ex-presidente”, diz o jornalista José Fucs no portal BR18.

Na entrevista, ao responder a uma pergunta sobre a participação de Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições de 2018, Lula diz:

Eu acho que Bolsonaro não disputa e se disputar não tem chance, porque mesmo pessoas que hoje pensam (como ele), terão vergonha de dizer que vão votar numa pessoa tão reacionária.

O vídeo deste trecho da entrevista, realizada em julho de 2017, foi publicado por Jefferson em seu perfil no Twitter.

Em seguida, o vídeo traz uma cena de A praça é nossa, na qual o apresentador Carlos Alberto de Nóbrega e um dos personagens do programa se “esborracham” de rir.

Partido Comunista do Brasil pode deixar de existir

Um dos 14 partidos que não cumpriram a chamada “cláusula de barreira” nestas eleições, o Partido Comunista do Brasil pode deixar de existir.

As informações são do jornalista Igor Gadelha na revista Crusoé.

O partido de Manuela D’Ávila, vice na chapa presidencial do Partido dos Trabalhadores (PT), tem grandes chances de ser extinto da política brasileira.

O Partido Comunista do Brasil (PC do B) está tentando incorporar uma sigla menor, mas encontra resistências e pode acabar se fundindo com as legendas esquerdistas PSB ou PDT.

A Rede Sustentabilidade, partido de Marina Silva, também é outro que deve deixar de existir até o final do ano após não atingir a cláusula de barreira e ficar sem fundo partidário, conforme noticiou Renova Mídia.

Candidatos a governador apostam em Bolsonaro no 2º turno

Dos 28 candidatos a governador disputando o segundo turno das eleições no Brasil, 16 fazem campanha para Bolsonaro, e só três declararam voto a Haddad.

A arrancada de candidatos a governador que se associaram ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e a sua votação no primeiro turno (46% dos votos válidos) provocaram uma adesão ainda maior na segunda fase da disputa.

Dos 28 nomes que permanecem na briga pelos governos estaduais, 16 declararam apoio ao capitão reformado do Exército (apenas três deles são do PSL).

Outros nove estão neutros em relação à eleição presidencial, enquanto apenas três fazem campanha para Fernando Haddad (PT) — Fátima Bezerra (PT), no Rio Grande do Norte, João Capiberibe (PSB), no Amapá, e Belivaldo Chagas (PSD), em Sergipe.

Adaptado da fonte Globo

Jair Bolsonaro envia carta ao ministro Celso de Mello

Imagem: Ricardo Moraes | Reuters

Nesta segunda-feira (22), o site O Antagonista teve acesso à carta que Jair Bolsonaro enviou para o ministro Celso de Mello.

Nela, o candidato à Presidência pelo PSL manifesta “apreço” pelo magistrado e diz prestigiar a Corte.

A decisão partiu após às declarações do filho Eduardo sobre fechar o STF.

Para Bolsonaro, as “manifestações mais emocionais, ocorridas nestes últimos tempos, se mostram fruto da angústia e das ameaças sofridas neste processo eleitoral”.

Leia a carta na íntegra:

“Senhor Ministro,

Tomo a liberdade de encaminhar esta carta à Vossa Excelência, diante do noticiário recente.

É meu dever, como cidadão, manifestar meu apreço por Vossa Execelência, seja pela conduta impecável no exercício de jurisdição, seja pela forma ponderada como sempre se manifesta ao público.

Quero, por escrito, deixar claro que manifestações mais emocionais, ocorridas nestes últimos tempos, se mostram fruto da angústia e das ameaças sofridas neste processo eleitoral.

O Supremo Tribunal Federal é o guardião da Constituição e todos tempos de prestigiar a Corte.

Cordialmente,
Jair Messias Bolsonaro.”

Imagem: Reprodução

Presidente do STJ não vê ameaça em fala de Eduardo Bolsonaro

João Otávio de Noronha disse que a democracia do Brasil ‘não corre risco’.

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, foi um dos poucos no meio jurídico a não ver ameaça na fala do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sobre ser necessário “um soldado e um cabo” para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo informações do Diário do Poder, o magistrado Noronha disse que estão “exagerando” a importância do que o parlamentar falou. O presidente do STJ declarou:

O Brasil não corre nenhum risco de ter sua democracia arranhada.

O filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) disse que a repercussão tem o único objetivo de atingir a candidatura do pai à Presidência da República.

Através das redes sociais, ele explicou que apenas respondeu a uma “hipótese esdrúxula” de impugnação da candidatura presidencial de Bolsonaro, conforme noticiou Renova Mídia.

No início da tarde desta segunda-feira (22), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, pediu uma investigação sobre a fala do deputado federal mais bem votado da história de São Paulo.

Gabeira talvez seja a única voz da razão na esquerda brasileira

Em artigo intitulado “As prisões mentais”, publicado no jornal O Globo, o esquerdista afirma que “Bolsonaro terá de moderar retórica e a oposição precisa tomar consciência da situação delicada em que o país entra”.

Em um dos trechos mais importantes do artigo de opinião, Fernando Gabeira escreveu:

A sobrevivência da democracia não está ameaçada. Mas algumas escoriações podem empurrá-la para o viés autoritário que hoje cresce no mundo.

As fake news, por exemplo, sempre existiram, mas hoje têm um peso maior, pelo alcance e velocidade. Utilizá-las sem escrúpulos e denunciá-las no adversário apenas confirma o pesadelo moderno da decadência da verdade.

É muito difícil chamar à razão a quem se considera o dono dela. Os intelectuais condenam as escolhas populares, mas, às vezes, não percebem a sede de sinceridade que há por baixo delas. Pena.

Banho de sangue brasileiro continua no mês de Agosto

Pelo menos 3.444 pessoas foram assassinadas no mês de agosto deste ano no Brasil.

As informações foram obtidos através de uma parceria entre o portal G1 e o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Pelo menos 3.444 pessoas foram assassinadas no mês de agosto deste ano no Brasil. O número, porém, é ainda maior, já que quatro estados não divulgam os dados.

O índice nacional de homicídios permite o acompanhamento dos dados de vítimas de crimes violentos mês a mês no país. Já são 34.305 vítimas registradas nos primeiros oito meses deste ano.

O número consolidado até agora contabiliza todos os homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, que, juntos, compõem os chamados crimes violentos letais e intencionais.

Adaptado da fonte G1

Jair Bolsonaro busca união da direita na América do Sul

O presidente do Paraguai confirmou ter recebido um telefonema de Bolsonaro neste domingo (22).

O candidato do PSL tem se aproximado de dirigentes sul-americanos de direita como Mauricio Macri (Argentina), Sebastián Piñera (Chile) e Mario Abdo Benítez (Paraguai).

Após telefonema no domingo (21), o líder do Paraguai disse ter ouvido do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) intenções de fortalecer as relações do Brasil com seu país, caso seja eleito.

Mais conhecido como ‘Marito’, o atual presidente do Paraguai foi eleito em abril de 2018, com uma agenda que defende a reforma da Constituição e a volta do serviço militar obrigatório, conforme noticiou a Renova Mídia.

Bolsonaro – que já acenou para o presidente chileno, Sebastian Piñera, em encontro com senadores do Chile no Rio de Janeiro na semana passada – compartilhou a mensagem e agradeceu em espanhol a “consideração” de Abdo.

Haddad preocupado com o voto “BolsoCiro” no Ceará

O empresário Eduardo Gurgel Arruda é sobrinho do prefeito de Baturité (CE), Assis Arruda (PDT), que apoiou o correligionário Ciro Gomes no primeiro turno.

Eduardo Arruda disse, conforme noticiou O Antagonista, que votou em Ciro Gomes no primeiro turno, mas apertará o 17 de Jair Bolsonaro (PSL) no domingo (28).

O empresário declarou:

Vou de Bolsonaro porque não quero mais o PT. Eu poderia apoiar o Haddad por conta do apoio político do Ciro, mas acho que o PT é responsável por toda essa desgraça que está acontecendo no país.

Outra reportagem do jornal Valor Econômico destaca que “a possibilidade de um grande número de votos ‘BolsoCiro’ preocupa a campanha de Haddad”.

Será que a região Nordeste está prestes a presentear o Partido dos Trabalhadores (PT) com a maior derrota política da sua história?