Editorial EN: A acusação caluniosa e a desconversa do governo de SC

O governador Carlo Moisés (PSL), através de sua assessoria ou ele mesmo por seu perfil no Twitter e no Facebook, acusou repetidamente o site Estudos Nacionais de praticar “fake news” (mentir), mas na mesma frase admite que o governo divulgou “informações incorretas e incompletas” e que seria feita uma nota esclarecendo-as. Os catarinenses e brasileiros estão ansiosos para saber quais informações dadas pelo governo estão incorretas.

Já foi demonstrado que a acusação do governador Carlos Moisés de “fake news” contra o site Estudos Nacionais é absolutamente falsa, caluniosa e irresponsável. Há, além dos já apresentados, ainda mais registros disponíveis na Internet que comprovar a publicação do relise de imprensa de autoria da jornalista Michelle Nunes (com os contatos da editora/assessora Sarah Goulart) no site oficial da secretaria da Fazenda. Foi com base no relise de imprensa com o título “Fazenda adere movimento em favor do desenvolvimento sustentável” que o site Estudos Nacionais publicou sua crítica à postura servil do governo de Santa Catarina às agendas globalistas e anticristãs da ONU, que são contrárias ao atual governo do presidente Jair Bolsonaro, como foi bem explicado pelo Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, em seu discurso de posse (ler aqui).

O site da Sindifisco publicou o relise, atribuindo a autoria e dando os devidos créditos à Secretaria da Fazenda. Ferramentas de busca de conteúdo online, como Google, Yahoo e Bing confirmam a publicação e deixaram páginas-cópia salvas. O site de buscas DuckduckGo também apresentou os links da secretaria da Fazenda e do Sindifisco. O Facebook também aponta para a divulgação da relise de imprensa por parte de seus usuários.

O que restou agora ao governo, após a repercussão da matéria de Estudos Nacionais, é a falsa imputação de crime e a tentativa de desconversar, mudar de assunto, mudar o foco da questão. Assessores, na tentativa do desmentido, falam que o projeto é do governo passado, ou que a adesão não é integral. Nada se falou disso quando anunciada a adesão ao projeto. Nada disso se afirmou no relise de imprensa publicado a respeito da assinatura do dia 7 de fevereiro. Nenhuma ressalva foi feita.

Obviamente, governador e a assessora autora do relise devem esclarecimentos ao público. Um, como recém-eleito governador alinhado às agendas cristãs/conservadores, e a jornalista, como servidora pública (se é comissionada ou “de carreira”, pouco importa).

O fato é que enquanto o governador Carlos Moisés nos acusava de “fake news”, a coordenadora do projeto com a secretaria entrava em contato conosco, na tentativa de nos intimidar e confirmando a adesão ao projeto (sim, tempos o “print” da conversa) e apresentando atenuantes e justificativas.

Estudos Nacionais, como blog conservador e defensor dos valores mais caros à sociedade que elegeu Jair Bolsonaro, espera da bancada de deputados governistas uma atitude fiscalizadora alinhada à proposta do Presidente da República e em favor da população que o elegeu nessa expectativa. Deputados que tiveram votações recordes devido esse alinhamento têm a obrigação de defenderem a verdade e não simplesmente os seus cargos.

Não se pode negar o que todos viram, os registros que ficam e as posições que defendemos no artigo fundamentado nas informações dadas pelo relise divulgados pela própria Secretaria da Fazenda. Está claro que o governador de Santa Catarina, o estado mais conservador do Brasil, quer manter a parceria com a ONU através dos princípios da Agenda 2030, mas não quer se indispor com seus eleitores. Quer servir a dois senhores. A saída encontrada foi alegar que os 17 itens do convênio não são obrigatórios. Mas então por que ele foi assinado? É simples: para não se indispor com as centenas e milhares de ONGs que parasitam o governo e fazem pressão diariamente, inclusive intimidando jornalistas que as denunciem. O site Estudos Nacionais espera da bancada do PSL que se diz conservadora uma defesa da verdade e não de seus cargos.

Seguem links das páginas, imagens, e páginas-cópia do material publicado pela assessoria de comunicação da Secretaria da Fazenda do Estado de Santa Catarina.

Página-cópia do relise de imprensa publicado no site da Secretaria da Fazenda.

https://archive.is/a7A5V

No Google:
http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:W5t1s38AEngJ:https://www.sc.gov.br/index.php/noticias/temas/desenvolvimento-economico/fazenda-adere-movimento-em-favor-do-desenvolvimento-sustentavel%20Fazenda%20adere%20movimento%20em%20favor%20do%20desenvolvimento%20sustent%C3%A1vel

Sindifisco:

http://www.sindifisco.org.br/noticias/fazenda-adere-movimento-em-favor-do-desenvolvimento-sustentavel

https://archive.is/yp3NS
No Bing:

http://cc.bingj.com/cache.aspx?q=Fazenda+adere+movimento+em+favor+do+desenvolvimento+sustent%c3%a1vel&d=3214774786060&mkt=en-US&setlang=en-US&w=u9DFaClLSEU9hx0GyZaqZf8_HhGhTkAg